Um pequeno abalo sísmico secundário, de magnitude 4,9 graus na escala Richter, atingiu nesta terça-feira (7) a região de L’Aquila, cerca de 110 quilômetros a nordeste de Roma, assustando socorristas e sobreviventes da catástrofe de segunda, que deixou ao menos 207 mortos. A tragédia deixou ainda mais de mil feridos, dos quais cerca de 100 apresentam condições críticas de saúde, e dezenas de milhares de desabrigados, especialmente em L’Aquila, cidade próxima do epicentro do terremoto.

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, confirmou nesta terça o aumento do número de mortos. Quinze pessoas continuam desaparecidas e os esforços de resgate continuarão por mais 48 horas, prosseguiu o chefe de governo italiano. Nesta terça, bombeiros e outros socorristas removiam freneticamente os escombros, muitos deles com as próprias mãos, em busca de sobreviventes. Até o momento, cerca de 150 pessoas foram retiradas com vida das ruínas dos imóveis devastados pelo tremor de 5,8 graus na escala Richter ocorrido no meio da madrugada de segunda.