O Peru assegurou nesta segunda-feira que prepara um plano que contempla uma eventual retirada para milhares de peruanos que vivem na Venezuela no caso de agravamento da situação social no país governado pelo presidente Nicolás Maduro.

O chanceler peruano Ricardo Luna afirmou, diante de uma comissão do Parlamento peruano, que o projeto, ainda em etapa de implementação, se coordena com o Ministério de Defesa local e contempla saídas por vias aéreas, marítimas e terrestres “caso seja necessário”. Ele disse, ainda, que a ação se coordena com outros países da região, que não foram mencionados.

Luna indicou que o Peru tem dois consulados gerais que atendem cerca de 100 mil peruanos em Caracas e em Puerto Ordaz.

Peru e Venezuela estão em um baixo nível de relações diplomáticas, depois que o governo peruano expulsou, há dez dias, o embaixador venezuelano em Lima, enquanto o governo de Nicolás Maduro ordenou a expulsão do encarregado peruano de negócios em Caracas, Carlos Rossi. Em março, o Peru retirou seu embaixador de Caracas, Mário López, logo depois que o Tribunal Suprema venezuelano retirou as funções do Congresso, que é controlado pela oposição.

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, qualificou Maduro de “ditador”, enquanto o mandatário venezuelano comentou que Kuczynski é o “presidente estadunidense do Peru” e “inimigo da Pátria de Bolívar”. Fonte: Associated Press.