Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta consistente hoje, um dia depois de membros e não membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) concordarem em estender um acordo de corte de produção até 2018.

No entanto, preocupações com a produção crescente de países que não fazem parte do acordo, como os Estados Unidos, resultaram numa queda semanal do preço do petróleo negociado em Nova York.

Na Nymex, o petróleo WTI para janeiro subiu US$ 0,96 (1,67%) e fechou a US$ 58,36 por barril, coma queda de 1% na semana, segundo a FactSet. Já o Brent para fevereiro negociado na ICE, em Londres, fechou em alta de US$ 1,10 (+1,75%), a US$ 63,73 por barril, com avanço semanal de 0,4%.

Ontem, os preços verificaram uma alta moderada após a Opep chegar numa decisão unânime com outros grandes produtores sobre a extensão do acordo de corte de produção, atenuando as preocupações sobre se a Rússia participaria do acordo.

Alguns analistas ponderam, no entanto, que a extensão do acordo possa não ser suficiente para garantir um rali prolongado dos preços da commodity. A Baker Hughes informou hoje que o número de plataformas em atividade nos EUA subiu em 2, para 749. Essa é a segunda alta semanal seguida.

“A menos que a demanda por petróleo suba inexplicavelmente nos próximos meses, será muito difícil para o WTI avançar significativamente para além dos US$ 60 por barril”, disse Tyler Richey, da Sevens Report. (Matheus Maderal, com informações da Dow Jones Newswires – matheus.maderal@estadao.com)