O quadro clínico ex-presidente argentino Raúl Alfonsín, de 82 anos, continua a deteriorar-se depois de ele ter recebido diagnóstico de pneumonia, informou seu médico particular. Alfonsín também sofre de um câncer de pulmão. Alberto Sadler, médico de Alfonsín, disse a jornalistas nesta terça-feira (31) em Buenos Aires que o ex-mandatário tem dificuldade para respirar e está recebendo oxigênio artificialmente.

A última aparição pública de Alfonsín ocorreu em outubro, quando a presidente da Argentina, Cristina Fernández, inaugurou um busto em homenagem a ele na Casa Rosada. Alfonsín foi o primeiro presidente democraticamente eleito depois da ditadura militar argentina, durante a qual milhares de dissidentes esquerdistas foram assassinados ou “desapareceram” pelas mãos do governo autoritário de direita.