Autoridades paquistanesas detiveram 13 militantes em várias incursões que, segundo a polícia, frustraram a realização ataques terroristas e forneceram pistas sobre como a venda de drogas para a Ásia e para o Golfo Pérsico ajudam a financiar o Taleban. A polícia apreendeu heroína e materiais para a fabricação de bombas numa das ações na cidade de Karachi, no sul, o centro comercial do país e da atividade extremista. Em Sargodha, no leste, as autoridades capturaram um recrutador de suicidas do Taleban em uma das duas incursões realizadas na área.

O Paquistão combate militantes do Taleban e da Al-Qaeda, responsabilizados por ataques terroristas nos últimos dois anos. No dia 5 de agosto, a campanha ganhou impulso com um ataque norte-americano de mísseis nas proximidades da fronteira afegã, que supostamente matou o líder paquistanês do Taleban Baitullah Mehsud.

Em Karachi, a polícia deteve sete membros do proscrito movimento Lashkar-e-Jhangvi durante uma operação realizada ontem, disse o policial Fayyaz Khan. O movimento, com ligações com a Al-Qaeda, é acusado por duas tentativas frustradas de assassinato contra o presidente Pervez Musharraf e pela decapitação do repórter do “Wall Street Journal” Daniel Pearl. De acordo com o policial Saud Mirza, a célula de Karachi planejava ataques contra escritórios do governo, da polícia e de agências de inteligência na cidade.

A polícia ainda apreendeu dois quilos de heroína, três coletes usados por suicidas e 15 quilos de explosivos. Khan disse que o grupo enviava a heroína para China, Malásia, Cingapura e Emirados Árabes Unidos. O lucro era levado de volta para o Paquistão e enviado para a fronteira com o Afeganistão, país que produz 93% do ópio em todo o mundo. Principal ingrediente da heroína, o ópio é uma das principais fontes de financiamento do Taleban.

De acordo com Khan, parte dos lucros era transferida para um comandante Taleban chamado Abdul Samad em Chaman, uma área da fronteira sudoeste do Paquistão com o Afeganistão. “Geralmente se fala sobre o envolvimento dos militantes com o comércio de drogas para financiar suas ações, mas esta é a primeira vez que detivemos um grupo”, afirmou.

Recrutador

Na cidade paquistanesa de Sargodha, ao leste, a polícia deteve seis militantes em duas incursões, informou o chefe de polícia Usman Anwar. Ele disse que os suspeitos têm ligações com o Taleban de Mehsud e que estavam planejando realizar ataques na próxima semana em pelo menos dois locais de devoção ou frequentados por estrangeiros, políticos ou minorias na cidade. Segundo Anwar, as ações policiais “evitaram desordem”, mas ele não deu maiores detalhes.

Dentre os seis estava Zaid Mustafa que, segundo Anwar era um recrutador de suicidas, que eram levados ao Afeganistão para treinamento. Ele também é suspeito de tratar da logística e de fornecer explosivos e apoio para ataques terroristas em Lahore, Karachi e Rawalpindi. “Toda vez que o Taleban nas áreas tribais quer realizar um ataque em cidades paquistanesas, Zaid certamente está envolvido”, disse Anwar.