A polícia da França vasculhou a sede do partido do presidente Nicolas Sarkozy, informou a sigla nesta quinta-feira. A ação faz parte de uma investigação sobre um suposto escândalo de financiamento partidário, envolvendo a herdeira da L’Oreal Liliane Bettencourt. Policiais do setor de investigações financeiras examinaram a sede em Paris do partido União por um Movimento Popular (UMP) na tarde de ontem, disse o líder do partido Xavier Bertrand, no mais recente avanço do escândalo que já dura meses.

Várias investigações judiciais estão em andamento em temas ligados à fortuna de Liliane, incluindo alegações de evasão fiscal, além de financiamento ilegal de campanha que envolveria o ministro do Trabalho, Eric Woerth. O diretor-geral do UMP, Eric Cesari, disse que a polícia veio para examinar a “correspondência entre Eric Woerth e Patrice de Maistre”, gerente da fortuna de Liliane, avaliada em 17 bilhões de euros.

Woerth já foi tesoureiro do UMP e também o principal arrecadador da campanha presidencial de Sarkozy, em 2007. O ministro já foi acusado de conflito de interesses, porque a mulher dele trabalhava para Maistre. Woerth nega qualquer irregularidade, mas ficou enfraquecido politicamente pela prolongada investigação, no momento em que Sarkozy tenta aprovar uma reforma no sistema previdenciário francês.

Cesari disse que a polícia anunciou antes que iria à sede partidária e ficou 1h30 checando os arquivos do UMP, sem levar nenhum documento. A polícia informou que a busca foi ordenada por um procurador do subúrbio de Nanterre, no oeste de Paris, que está investigando vários aspectos dos negócios de Liliane e também o suposto envolvimento de Woerth em irregularidades.

A revista Paris Match informou em seu site que os investigadores estavam buscando uma carta enviada de Woerth para Sarkozy em março de 2007, na qual Woerth pede que Maistre receba a principal honraria concedida pela França, a Legião da Honra. As informações são da Dow Jones.