Quase uma semana depois que uma bomba matou 20 pessoas na capital tailandesa, a polícia do país disse que o principal suspeito do atentado já poderia ter fugido do país. O incidente ocorreu no santuário de Erawan na segunda-feira (17).

O policial Somyot Poompanmoung disse a repórteres que os investigadores “precisam de alguma sorte” se quiserem pegar o homem que pareceu ter sido mostrado com a bomba em imagens de uma câmera de segurança na local da explosão. “Se o autor tiver sorte, então ele pode ser capaz de fugir”, afirmou.

Outro policial, o tenente-general Prawut Thavornsiri, disse à TV tailandesa que ele suspeitava que o principal suspeito poderia já ter deixado o país. “Mas vamos continuar pesquisando, caso possamos encontrar outros que estão no país ou encontrar pistas, provas e testemunhas que podem tê-lo visto”, disse.

As observações dos policiais lançam dúvidas sobre a versão dos acontecimentos apresentada pela junta militar da Tailândi. As autoridades tem dito repetidamente que a explosão da bomba não tinha conexão com estrangeiros ou terrorismo internacional. “Nós não vamos cortar qualquer aspecto da investigação até que tenhamos razão suficiente para fazê-lo”, afirmou Somyot. Fonte: Associated Press.