Uma corte polonesa decidiu hoje que um israelense suspeito de estar envolvido na morte de um líder do Hamas e de ser agente do Mossad, o serviço secreto de Israel, deve ser extraditado para a Alemanha. O juiz da corte distrital de Varsóvia Tomasz Calkiewicz ordenou que Uri Brodsky seja extraditado sob a acusação de falsificação. A suspeita é a de que Brodsky tenha fraudado um passaporte alemão usado por um membro do grupo que é acusado pela morte, em janeiro, de Mahmoud al-Mabhouh em Dubai.

Brodsky foi detido na Polônia em junho e tem um mandado de prisão contra ele na Alemanha. A advogada de defesa Anna Mika-Kopec disse ainda não saber se apelará da decisão e agora espera receber, na próxima semana, a notificação judicial polonesa por escrito.