A próxima fase do conflito armado no leste ucraniano será a mais grave até o momento, afirmou o primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk, citando informações que recebeu hoje e ontem sobre uma possível intervenção direta da Rússia na Ucrânia.

O risco é “maior do que era há alguns dias ou há duas semanas”, disse Tusk durante coletiva de imprensa.

Tusk fez comentários semelhantes ao de seu ministro de Relações Exteriores, Radoslaw Sikorski, que ontem declarou que a Rússia estava ampliando forças militares na fronteira com a Ucrânia, preparando-se para uma possível invasão direta.

Autoridades polonesas têm apelado ao Ocidente que tome medidas mais drásticas para conter a Rússia e pediram a presença militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) nas regiões central e norte da Europa. Segundo Varsóvia, a atuação dos russos na Ucrânia enfraqueceu a segurança da Polônia. Fonte: Dow Jones Newswires.