O premiê do Japão, Yoshihiko Noda, anunciou hoje a dissolução da câmara baixa do Parlamento do país e a antecipação, para 16 de dezembro, das eleições gerais.

O adiantamento das eleições era reivindicado pela oposição, liderada pelo Partido Liberal-Democrata (PLD). Em troca, o premiê obteve apoio a uma lei para a emissão de novos bônus que permitam financiar o Estado neste ano fiscal, além de uma reforma do sistema eleitoral que altera o peso dos votos por Províncias.

De acordo com as pesquisas, a legenda tem grandes chances de recuperar o poder perdido nas eleições de 2009.

Naquele ano, o Partido Democrático (PD), de tendência mais progressista, obteve uma histórica vitória eleitoral que encerrou mais de meio século de poder do conservador PLD. Mas as pesquisas indicam que a popularidade do PD está em níveis baixíssimos.

Essas eleições definirão um novo premiê para o país, que teve já seis diferentes, nos últimos seis anos.