O primeiro-ministro da Líbia, Ali Zeidan, disse que o país quer manter boas relações com os Estados Unidos após as operações norte-americanas que levaram a captura de um líbio suspeito de pertencer a Al-Qaeda em Trípoli. Contudo, o premiê insistiu que os líbios têm o direito de ser julgados em sua terra natal por qualquer crime.

Os comentários de Ali Zeidan na terça-feira foram os primeiros desde que o as forças especiais dos EUA capturaram Nazih Abdul-Hamed al-Ruqai, conhecido como Anas al-Libi, no sábado.

Em visita a Marrocos, Zeidan disse que os EUA e a Líbia devem trabalhar juntos para resolver este incidente. Ele acrescentou que a Líbia “não desistirá de seus filhos”. A Líbia pediu aos Estados Unidos por esclarecimentos em relação à operação.

Al-Libi era procurado pelos EUA por um suposto envolvimento em atentados com bomba em embaixadas norte-americanas no leste da África em 1998. Fonte: Associated Press.