O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, admitiu hoje que seu chefe-de-gabinete recebeu “sacolas de dinheiro” do Irã. Karzai garantiu, porém, que esses pagamentos eram transparentes e representavam apenas uma ajuda de uma nação amiga.

Os pagamentos em dinheiro “são feitos por vários países amigos para ajudar o escritório presidencial e para ajudar nas despesas”, afirmou o líder afegão em Cabul. No último sábado, o jornal The New York Times informou que o chefe-de-gabinete de Karzai, Umar Daudzai, recebia pagamentos regulares do Irã. O país persa tenta ampliar sua influência no palácio presidencial em Cabul.

“O governo do Irã tem nos auxiliado com 500 mil euros ou 600 mil euros, ou 700 mil euros, uma ou duas vezes por ano, isso é uma ajuda oficial”, afirmou Karzai. “Ele (Daudzai) está recebendo o dinheiro sob as minhas instruções”. O jornal, citando funcionários afegãos que pediram anonimato, disse que os pagamentos representavam milhões de dólares e iam para um fundo secreto que Daudzai e Karzai vinham usando para pagar parlamentares afegãos, líderes tribais e até comandantes do Taleban para garantir lealdade.

Segundo um funcionário ocidental citado pelo jornal dos EUA, o dinheiro era “basicamente”, um caixa 2 para atividades ilegais da liderança do país. “A missão de Daudzai é gerar avanços para os interesses iranianos”, disse essa fonte. As informações são da Dow Jones.