O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, adiou hoje uma viagem planejada nesta semana para a Holanda, citando um julgamento por direitos humanos no país europeu que poderia resultar em sua prisão. Yudhoyono cancelou a visita mais de uma hora depois do horário previsto para sua partida em uma visita diplomática de três dias à ex-metrópole.

“Minha visita iria coincidir com os julgamentos relacionados à RMS (República do Maluku Sul, na sigla em inglês) na Holanda, em que naquele momento haverá uma decisão sobre prender o presidente da Indonésia”, reconheceu Yudhoyono.

Jacarta derrotou o movimento da RMS pouco após a região declarar independência, em 1950. O movimento, porém, se articulou novamente após a queda do autoritário presidente Suharto, em 1998. “Se o julgamento ocorrer durante a minha visita, então isso está ligado à dignidade e à honra do país, portanto eu decidi adiar essa viagem”, justificou o presidente. Segundo ele, caso a viagem prosseguisse, poderia causar “desentendimentos” e uma “má reação psicológica”.

As autoridades da Indonésia já lutaram contra várias formas de insurgência separatistas no arquipélago. O país permanece sensível a movimentos que defendem autonomia. As informações são da Dow Jones.