A primeira-dama dos Estados Unidos, Laura Bush, iniciou neste domingo (8) uma visita ao Afeganistão para ressaltar os sinais de renascimento da nação castigada pela guerra.

A viagem ao Afeganistão antecede uma conferência de doadores, marcada para a próxima terça-feira em Paris, onde os EUA esperam o compromisso de bilhões de dólares de ajuda internacional adicional para o país.

A mulher do presidente George W. Bush faz sua terceira visita ao Afeganistão, que foi governado pelo regime repressivo do Taleban até a invasão norte-americana depois dos ataques de 11 de setembro de 2001.

"O povo do Afeganistão não quer voltar atrás", disse a primeira-dama a jornalistas no avião durante um vôo de quase 14 horas até a Cabul, a capital afegã. "Os afegãos sabem como era antes. A comunidade internacional não pode abandonar o Afeganistão neste momento crucial".

A primeira-dama viajará até a província de Bamiyan, que abrigava duas estátuas colossais de Buda, esculpidas em arenito séculos atrás e destruídas pelo regime Taleban em março de 2001.

Laura Bush visitará ainda uma academia de treinamento da polícia e um centro de estudos. Ela também tem agendadas uma reunião com o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, e uma visita às tropas norte-americanas no país.