O procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, pediu nesta terça-feira que as cidades e a polícia cooperem com autoridades federais de imigração. A fala deixou clara a divisão entre o governo do presidente Donald Trump e alguns chefes de polícia sobre o papel das agências locais na questão imigratória.

“Alguns prefeitos e Câmaras de Vereadores, e mesmo o chefe da policia e o xerife aqui e ali, estão se recusando a trabalhar com o governo federal, escolhendo em vez disso proteger forasteiros criminosos que prejudicam a segurança pública. Hoje, eu peço a eles que trabalhem conosco”, afirmou Sessions em discurso diante de chefes de polícia no Arizona, segundo o texto de seu discurso preparado.

No mês passado, o governo Trump disse que reteria verba para o combate à criminalidade de cidades que não cooperam com a política federal de imigração. Chefes de polícia em algumas das principais cidades relutam em atender aos pedidos de autoridades federais no cumprimento da lei imigratória. Segundo eles, isso dificultaria que os imigrantes ilegais em suas cidades reportassem crimes, seja como testemunhas ou como vítimas.

A polícia de Houston, por exemplo, disse que houve uma queda de 43% nas denúncias de estupro entre hispânicos no primeiro trimestre de 2017, na comparação com igual período de 2016. Também registrou uma queda de 13% na denúncia de crimes violentos por hispânicos. Ao mesmo tempo, as denúncias similares entre os que não são hispânicos aumentaram.

Sessions disse que o Departamento de Justiça “está pronto a fornecer mais recursos” para as comunidades que cooperarem. Segundo ele, o trabalho conjunto pode restabelecer um sistema legal de imigração e tornar o país mais seguro. Mais cedo, Sessions divulgou um memorando que orienta promotores federais a buscar penas mais duras contra imigrantes ilegais que cometem crimes ou que cruzam repetidamente a fronteira de maneira ilegal. Fonte: Dow Jones Newswires.