Os promotores sul-coreanos disseram, nesta quarta-feira, que planejam convocar a presidente deposta do país, Park Geun-hye, para interrogá-la, na semana que vem, sobre o escândalo de corrupção que a afastou do cargo.

Park perdeu sua imunidade presidencial depois que o Tribunal Constitucional do país decidiu, na semana passada, terminar formalmente o seu governo após as alegações de que ela teria divulgado informações confidenciais para uma amiga, ajudando-a a extorquir dinheiro de empresas sul-coreanas e permitindo que ela a ajudasse a tomar conta do governo.

Os promotores afirmaram que conversaram com os advogados de Park sobre convocá-la na próxima terça-feira. Não foram fornecidos mais detalhes.

Dezenas de figuras importantes da Coreia do Sul, incluindo funcionários do governo Park e o herdeiro da Samsung, Lee Jae-young, foram indiciados por conta do escândalo. A ex-presidente também pode enfrentar acusações de extorsão e suborno, mas ela nega qualquer irregularidade legal. Fonte: Associated Press.