Duzentas e dezenove pessoas foram mortas e 510 ficaram feridas durante os violentos protestos que levaram à queda do presidente da Tunísia Zine El Abidine Ben Ali, afirmou hoje Bacre Ndiaye, chefe de uma missão de direitos humanos das Nações Unidas.

Em entrevista coletiva, ele disse que 147 pessoas morreram desde o início da revolta popular, no meio de dezembro, enquanto outras 72 morreram em prisões do país do norte africano. O chefe da missão da ONU afirmou que esses números não eram finais, acrescentando que a entidade internacional prossegue com suas investigações. Anteriormente, a ONU havia confirmado que o levante na Tunísia havia resultado na morte de “pelo menos cem pessoas”.

Ben Ali fugiu para a Arábia Saudita no mês passado, após semanas de violentos protestos contra seu repressivo regime. O governo interino formado após a fuga de Ben Ali, em 14 de janeiro, afirmou que ocorreram 78 mortes durante os protestos. A oposição, porém, afirma que o número é maior. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.