O primeiro-ministro russo Vladimir Putin disse nesta terça-feira que está satisfeito com a performance de seu partido, o Rússia Unida, nas eleições parlamentares, embora a legenda tenha perdido um significativo número de assentos no legislativo. Ele afirmou também que uma queda no apoio é “inevitável” para um partido que está no governo. A declaração foi feita depois de a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton ter criticado mais uma vez o pleito.

O Rússia Unida conquistou cerca de 50% dos votos dos russos, um resultado que segundo políticos opositores e monitores eleitorais foi inflado graças a fraudes eleitorais. O resultado representa uma queda significativa em relação às eleições de 2007, quando o partido recebeu 64% dos votos, conquistando uma maioria de dois terços na Duma (a câmara Baixa do Parlamento), o que permitiu ao governo alterar a Constituição. Apesar disso, Putin afirmou ter mantido uma “maioria estável”.

“Sim, sofremos perdas, mas elas eram inevitáveis”, disse ele. “Elas são inevitáveis para qualquer força política, particularmente para uma que tem carregado o peso da responsabilidade pela situação do país”.

Os resultados refletem o cansaço do povo em relação ao autoritarismo de Putin e à corrupção generalizada no governo, indicando que sua volta à presidência, nas eleições de março do ano que vem, pode não ser tão fácil quanto esperado.

A indignação contra a interferência do Estado na campanha do Rússia Unida e as evidências de fraudes eleitorais levaram milhares de manifestantes a marcharem pelo centro de Moscou na noite de segunda-feira gritando “Rússia sem Putin!”.

A polícia deteve cerca de 300 manifestantes em Moscou e 120 participantes de um protesto semelhante em São Petersburgo. Um dos líderes da oposição radical, Ilya Yashin, que estava entre os detidos, foi sentenciado a 15 dias de prisão nesta terça-feira por desobedecer a polícia.

Hoje, a segurança foi reforçada na capital, numa aparente antecipação a mais protestos.

Hillary criticou a eleição russa pelo segundo dia seguido, dizendo nesta terça-feira na Lituânia que “os eleitores russos merecem uma ampla investigação sobre as fraudes e manipulações eleitorais”. Autoridades russas negaram problemas significativos durante o pleito. As informações são da Associated Press.