A queda nos preços do petróleo deveria supostamente ajudar a economia neste ano. Mas, até agora, parece ter mais prejudicado. O motivo pelo qual os custos mais baixos da commodity deveriam impulsionar o crescimento dos EUA é simples. Apesar dos ganhos na produção doméstica a partir do boom de xisto, o país ainda é um importador líquido de petróleo. Desta forma, quando os preços do petróleo caem, os consumidores e as empresas americanas gastam menos dinheiro em material produzido no exterior, deixando-os com mais dinheiro para gastar em coisas produzidas em território nacional. Consequentemente, o Produto Interno Bruto aumenta.

No entanto, o PIB cresceu a uma taxa anual de apenas 0,2% no primeiro trimestre – um dado susceptível de ser revisto para baixo. E, apesar de parte da fraqueza na economia nesse período estar atrelada a condições meteorológicas e a problemas no porto da Costa Oeste, o crescimento neste trimestre também parece estar sendo comprometido.

Isso aponta para um enfraquecimento subjacente da economia causado pelo menos em parte pelo petróleo. O avanço do PIB no primeiro trimestre teria sido de três quartos de um ponto porcentual maior, não fosse por uma queda do investimento privado em estruturas não residenciais, que incluem itens como armazéns e usinas de energia.

Mais da metade daquele declínio ocorreu devido a uma diminuição acentuada nos gastos com poços e exploração de petróleo e gás. O investimento em bens de capital foi essencialmente estável no primeiro trimestre, contudo teria aumentado, não fosse um declínio nas compras de máquinas de mineração e campos petrolíferos. Isso sem considerar no cálculo gastos menores da indústria do petróleo em outros equipamentos, como caminhões e computadores.

O recuo do investimento relacionado a petróleo continuará a ser sentido neste trimestre. Um indício disso é que a contagem de sondas nos EUA está 15% abaixo do resultado do final do primeiro trimestre.

Enquanto isso, muitos trabalhadores da indústria petrolífera foram demitidos e aqueles que permanecem devem estar apreensivos. Haliburton cortou 9 mil empregos ao longo dos últimos dois trimestres e é provável que corte mais. Schlumberger planeja demitir 11 mil pessoas neste trimestre, após a saída de 9 mil trabalhadores no ano passado. Esse tipo de acontecimento pode frear a disposição das pessoas para gastar.

A atividade de extração de petróleo e gás responde por apenas cerca de 2% do PIB e 0,1% do nível de emprego. Mesmo considerando sua contribuição indireta na economia, como o impacto sobre o fabricante que faz equipamentos de perfuração e o bar localizado perto dos campos de petróleo – este setor ainda representa apenas uma pequena parte do PIB. Mas a resposta negativa à queda dos preços do petróleo tem sido rápida, enquanto seus benefícios podem levar mais tempo para aparecer.