Rebeldes comunistas fizeram uma emboscada hoje contra um caminhão do Exército em uma zona remota do norte das Filipinas, matando todos os sete soldados a bordo, informaram funcionários. As tropas estavam se preparando para uma missão médica, segundo as autoridades.

A rebelião de 41 anos dos comunistas é uma das mais longevas insurgências da Ásia. Os rebeldes maoistas, que estão na lista de terroristas dos Estados Unidos, tornaram-se mais ativos nos últimos meses, atacando militares em zonas pouco povoadas e postos policiais, a fim de conseguir armas.

O coronel Eliseo Posadas, comandante de uma brigada do Exército local, disse que os soldados foram atacados pouco após deixar o posto de comando na cidade de Bontoc, província de Mountain. Eles coordenariam uma missão médica marcada para o sábado. Os rebeldes tomaram as armas e, antes de fugir, mataram os soldados. Posadas disse que eles estavam agora sendo procurados na montanhosa região. “Nós estamos buscando na área para ver se há baixas do lado inimigo.”

A ex-presidente Gloria Macapagal Arroyo ordenou que os militares derrotassem os rebeldes até o fim de seu mandato, em 30 de junho, mas esse prazo não foi cumprido. As conversas de paz estão estagnadas desde 2004, quando os rebeldes acusaram o governo de instigar a inclusão do grupo em listas de grupos terroristas dos EUA e da União Europeia (UE).