Analistas da organização apartidária Escritório para o Orçamento Congressual (CBO, na sigla em inglês) projetaram que 22 milhões de pessoas perderiam cobertura de seu seguro de saúde até o fim de 2026, caso seja aprovado o projeto de reforma no sistema de saúde dos líderes republicanos no Senado para desmantelar o sistema colocado em vigor no governo do ex-presidente Barack Obama.

Segundo o CBO, 49 milhões de pessoas ficaram sem seguro até o fim de 2026, com o acréscimo de 22 milhões do novo projeto. Ao mesmo tempo, a legislação reduziria o déficit federal em US$ 321 bilhões em uma década, caso aprovada.

O número do CBO referente ao projeto do Senado não difere muito do número da Câmara, já que a proposta dos deputados republicanos deixaria 23 milhões de pessoas a mais sem cobertura, além de reduzir o déficit em US$ 119 bilhões. A estimativa, no entanto, não leva em consideração uma alteração na proposta que foi adicionada nesta segunda-feira.

A votação no Senado pode ocorrer já nesta semana. No momento, o projeto de lei não tem apoio de nenhum democrata, mas enfrenta a resistência de alguns senadores republicanos, como os conservadores Ted Cruz (Texas) e Rand Paul (Kentucky) e o moderado Dean Heller (Nevada). Fonte: Dow Jones Newswires.