O regime líbio rejeitou hoje a oferta de cessar-fogo feita pelos rebeldes, afirmando que as forças de Muamar Kadafi não vão se retirar das cidades que controlam, disse o porta-voz do governo, Mussa Ibrahim. “Os rebeldes nunca ofereceram a paz. Eles não oferecem a paz, eles estão fazendo exigências impossíveis”, disse Ibrahim aos jornalistas na capital.

Mais cedo hoje, o chefe do Conselho Nacional de Transição anunciou que os rebeldes estavam prontos para um cessar-fogo, desde que as forças de Kadafi encerrassem seus ataques contra cidades mantidas pelos insurgentes.

“Nós concordamos com o cessar-fogo, com a condição de que nossos irmãos nas cidades ao oeste tenham liberdade de expressão e que as forças que os sitiam se retirem”, declarou Mustafa Abdul Jalil, na cidade de Benghazi. Ele acrescentou, porém, que a revolução ainda tem como objetivo derrubar o regime.

Mas Ibrahim chamou a oferta de trégua de “truque”. “Não vamos deixar nossas cidades. Nós somos o governo, não eles”, afirmou o porta-voz, acrescentando que o governo sempre está pronto para negociar e quer a paz.

O anúncio ocorreu dois dias depois dos rebeldes terem sido expulsos de uma série de terminais petrolíferos no leste da Líbia, que eles haviam tomado duas vezes durante as duas semanas de revolta com o objetivo de depor o regime de 41 anos de Kadafi. As informações são da Dow Jones.