O regime sírio de Bashar Assad declarou hoje “persona non grata” vários embaixadores de países ocidentais, incluindo o dos Estados Unidos, em resposta à expulsão de embaixadores sírios na semana passada, anunciou o ministério das Relações Exteriores. “A Síria decidiu declarar persona non grata os embaixadores dos Estados Unidos, França, Reino Unido, Suíça, Turquia, Itália e Espanha, assim como os representantes de negócios da Bélgica, Bulgária, Alemanha e Canadá”, afirma um comunicado oficial.

Segundo a TV oficial, o ministério adotou esta medida “seguindo o princípio de tratamento recíproco”. Na semana passada, países ocidentais anunciaram a expulsão dos embaixadores sírios em repúdio à morte de 108 pessoas em Houla, no centro do país.

Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia, Bulgária, Canadá, Espanha, França, Itália e Reino Unido expulsaram o corpo diplomático do regime sírio.
Holanda e Bélgica, que compartilham o mesmo embaixador, declararam o representante “persona non grata” nos países.

O Brasil não seguiu o exemplo dos demais países sob o argumento de que “diálogo com a Síria tem que ser mantido”. “Se expulsarmos os diplomatas sírios do país, não vai ter mais diálogo”, afirmou o porta-voz da chancelaria brasileira, Tovar Nunes, na ocasião.