O Reino Unido convocou o embaixador da Síria para informar que novas sanções serão aplicadas ao regime do presidente Bashar Assad caso a violência contra os opositores do governo não seja interrompida. O Ministério de Relações Exteriores britânico informou hoje que o embaixador sírio Sami Khiyami foi convocado para conversar com o diretor geral de política Geoffrey Adams.

Segundo comunicado do ministério, a convocação teve como objetivo “expressar as fortes preocupações do Reino Unido sobre a atual situação na Síria”. Adams pediu que a Síria “pare imediatamente de matar manifestantes inocentes e liberte todos os prisioneiros políticos”. Um porta-voz do ministério disse à France Presse que a medida é “parte de um movimento coordenado da União Europeia (UE)”, mas não disse quais outros países estariam envolvidos.

A Alemanha convocou na quarta-feira o embaixador sírio em Berlim para transmitir uma mensagem semelhante, enquanto os países europeus consideram a hipótese de estender a proibição de viagem e o congelamento de ativos imposto pela UE na semana passada contra 13 integrantes do governo da Síria.

Diplomatas ocidentais disseram que cerca de 800 sírios foram mortos desde que as manifestações tiveram início em meados de março e que cerca de 8 mil foram detidos. O convite feito a Khiyami para o casamento real foi cancelado por causa das ações violentas do governo sírio contra manifestantes. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.