Relativa calma prevaleceu neste sábado em grandes partes devastadas pela guerra na Síria, apesar de violações esporádicas e confrontos, após um acordo para criar “zonas de proteção” em áreas predominantemente opostas entrar em vigor, disseram ativistas da oposição e meios de comunicação do governo.

Não houve relatos imediatos de vítimas depois que o plano acordado pela Rússia, Turquia e Irã – em uma última tentativa de trazer calma para o país – entrou em vigor, a 0h de sexta-feira.

O estabelecimento de zonas seguras é a mais recente tentativa internacional de em meio a uma guerra civil de seis anos que deixou mais de 400 mil mortos e é o primeiro a prever monitores estrangeiros armados no terreno na Síria. O Estados Unidos não faz parte no acordo, assim como os rivais sírios.

Detalhes sobre o plano ainda devem ser elaborado ao longo das próximas semanas. Houve relatos limitados de bombardeios no norte de Homs e Hama, ao sul da província de Daraa, áreas que se esperam que façam parte do acordo, disseram ativistas. Não houve relatos imediatos de vítimas.

Não está claro como o cessar-fogo ou como as “zonas de proteção” serão aplicadas. Autoridades russas disseram que será pelo menos mais um mês até que os detalhes sejam estabelecidos. Fonte: Associated Press