Rigoberta Menchu: apelo contra
a guerra ao Iraque.

Cidade do México ? A líder indígena guatemalteca Rigoberta Menchu, Prêmio Nobel da Paz de 1992, fez um apelo contra a guerra ao Iraque em comunicado divulgado pela fundação que leva o seu nome. Ela se disse preocupada com “o iminente perigo de uma agressão unilateral ao Iraque, na região do Golfo Pérsico” e com “o fortalecimento dos belicistas no mundo”, que estão “manipulando conflitos aos quais o sistema internacional pode encarar e resolver pela via pacífica”.

Na nota divulgada após uma reunião em Aztlán, na região de Chiapas, México, Rigoberta Menchu disse “ser inaceitável assistir países, que com seu poder e grau de desenvolvimento deveriam ser os principais defensores de uma ordem mundial harmônica e pacífica, optar pelo uso da força bruta, da quebra das regras do direito internacional e da regressão dos direitos humanos e liberdades fundamentais no mundo”.

Qualificando de “cínicos” os que consideram as vítimas civis dos conflitos armados como “danos colaterais”, a líder da etnia Maya-Quiché saudou como auspiciosas as sugestões do Papa João Paulo II e de Jimmy Carter para uma solução política para o conflito.