A situação política da Venezuela foi comentada no Twitter pelo presidente da Câmara Federal Rodrigo Maia (DEM-SP). À semelhança do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em seu Twitter, Maia disse acompanhar “com atenção” o desenrolar das manifestações no país vizinho.

“Acompanho com atenção e preocupação as manifestações na Venezuela na expectativa de que possam conduzir uma solução que preserve a democracia e não agrave a crise humanitária que assola o país vizinho”, diz a publicação do parlamentar.

Maia então recuperou o histórico de declarações de “contrariedade” da Câmara brasileira “com os recentes processos eleitorais ocorridos” na Venezuela, “especialmente naquele que tentou restringir o Poder Legislativo com a eleição de uma assembleia constituinte que viola as normas estabelecidas pela Constituição de 1999”.

Em nome da Câmara dos Deputados, Maia defendeu o respeito “à soberania da Assembleia Nacional e à independência dos Poderes”. O presidente da Câmara também saiu em defesa de uma convocação de novas eleições na Venezuela e demandou que presos políticos sejam soltos.

Nesta terça-feira, 30, o autoproclamado presidente interino da Venezuela Juan Guaidó convocou a população a ir às ruas do país contra o presidente Nicolás Maduro. Guaidó disse ser apoiado por parte dos militares venezuelanos.