O Brasil obteve apoio explícito da Rússia à sua candidatura a um assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). De volta da viagem de dois dias àquele País, o vice-presidente da República, Michel Temer, trouxe na bagagem a declaração conjunta assinada por ele e pelo primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, na tarde de ontem. Trecho do documento diz que “a parte russa considera o Brasil como um participante relevante e influente das relações internacionais e reafirma seu apoio à candidatura do Brasil como um merecedor e forte candidato a um assento permanente em um Conselho de Segurança das Nações Unidas ampliado”.

O Brasil retribuiu com apoio incisivo ao pleito daquele país para o ingresso na Organização Mundial do Comércio (OMC) até 2011, com ampla negociação entre os parceiros internacionais que já integram o organismo de controle das relações comerciais. O acordo assinado também abre espaço para investimentos no setor energético, além de implantar sistema de intercâmbio de ensino para bolsistas em pesquisa científica nos dois países e garantir maior cooperação na área agrícola, fortalecendo a aliança entre os dois países.

A ampliação das relações entre Brasil e Rússia pode ser traduzida na meta estabelecida de alcançar nos próximos anos o volume de US$ 10 bilhões em comércio bilateral. Em 2010, os negócios comerciais entre os dois países fecharam o ano em cerca de US$ 6 bilhões.

Na área científica, foi acertada a cooperação em educação, com a concessão de bolsas de ensino para estudantes e pesquisadores em áreas estratégicas, como nanotecnologia, matemática e física, entre outras. O memorando de entendimento estabeleceu um cronograma de 60 dias para por o acordo em prática.

Também ficou definido apoio mútuo para a criação do Centro de Inovações Skolkovo, na Rússia, e do Parque Tecnológico Cidade Digital, em Brasília. No mesmo sentido, a área espacial foi abordada com a cooperação estabelecida para o aperfeiçoamento do veículo lançador de satélites do Brasil. A tecnologia russa em redes de transmissão de energia foi tema de entendimento entre a Eletrobrás e a Inter Rao EES. A Rússia tem tecnologia mais avançada nesse setor, que é necessária aos investimentos energéticos brasileiros.

Outros aportes podem ser feitos por empresas russas na área de prospecção e refino de petróleo.