A China assinou nesta sexta-feira (23) um acordo de US$ 1 bilhão com a Rússia para a implementação de uma planta de produção de energia atômica, ampliando o papel de Moscou como grande fornecedor da crescente indústria nuclear chinesa.

O acordo foi fechado durante uma visita do presidente russo, Dmitry Medvedev, a Pequim, onde se encontrou com o presidente chinês, Hu Jintao. O acordo prevê a construção de uma usina de US$ 500 milhões e o fornecimento de pelo menos US$ 500 milhões de urânio semi-enriquecido.

A Rússia está interessada no crescente mercado de energia nuclear para uso civil na China, que até 2020 pretende construir 40 usinas para atender à sua crescente demanda.