O general Óscar Naranjo, ex-diretor da Polícia Nacional da Colômbia e negociador com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), deve se converter no novo vice-presidente do país e mão direita do presidente Juan Manuel Santos na reta final do mandato, marcado pela implementação dos acordos de paz com a guerrilha. Santos anunciou nesta quinta-feira que Naranjo sucederá o atual vice-presidente, Germán Vargas Llera, que já disse que buscará concorrer nas próximas eleições presidenciais, de 2018, e por isso deve deixar o cargo antes de março.

“O general Naranjo é uma pessoa que tem servido este país toda sua vida”, afirmou Santos em entrevista à rádio Caracol. Próximo ao presidente, o general foi negociador nos diálogos de paz com as Farc, com o que ganhou credenciais para participar na implementação dos acordos firmados no fim de 2016.

Vargas Lleras, por sua vez, sempre se mostrou cético em relação ao processo de paz liderado por Santos. Ainda vice-presidente, porém, ele votou ao final “sim” no plebiscito para referendar os acordos, após meses de expectativa sobre qual postura adotaria.

Santos também elogiou Naranjo por sua contribuição no setor de segurança. “Na frente da segurança cidadã foi talvez das pessoas mais importantes nos últimos anos”, acrescentou o presidente na entrevista.

Naranjo é um dos agentes mais condecorados da Colômbia. Ele teve um papel central na luta contra o narcotráfico e no desmantelamento do cartel de Cali, foi assessor do México no tema e participou da redação da reforma do código de polícia, que entrará em vigor na próxima semana. Essas credenciais valeram a ele em 2008 o título de melhor policial do mundo da Associação Internacional de Chefes de Polícia. Fonte: Associated Press.