Eleitores franceses, muitos deles frustrados com o presidente Nicolas Sarkozy e furiosos com os problemas econômicos que atingem a França, votam neste domingo em eleições regionais que deverão favorecer a esquerda oposicionista e estabelecer o cenário para a corrida presidencial de 2012.

Desencorajados pelo modo como Sarkozy vem lidando com a economia vacilante, os eleitores preferiram os socialistas e partidos ligados à esquerda na primeira rodada de votação, na semana passada. Na ocasião, os Socialistas tiveram 53,5% dos votos, enquanto os conservadores da União para uma Maioria Popular, partido de Sarkozy, tiveram 39,9%.

Por volta das 13 horas (de Brasília), a participação dos eleitores na votação deste domingo estava em cerca de 43%, segundo o Ministério do Interior. Mesmo em um bairro politicamente ativo no sudeste de Paris, um colégio eleitoral permaneceu vazio durante a primeira hora de votação.

Eleitores estão nervosos com os esforços de reforma de Sarkozy que pretendem reforçar as regras trabalhistas para tornar a economia francesa mais competitiva globalmente. Os franceses estão furiosos com as demissões e preocupados com as planejadas reformas nas pensões, que podem reduzir a renda da população mais velha. Greves e manifestações em ao menos 70 cidades estão programadas para terça-feira por trabalhadores de ferrovias, professores e outras categorias.

As eleições deste domingo determinarão o controle de conselhos regionais que tratam de questões locais. A França tem 26 regiões, sendo 22 em território continental, a Córsega e mais quatro territórios ultramarinos no Caribe e no Oceano Índico.