A polícia senegalesa prendeu uma médica por ela ter dito que o presidente Abdoulaye Wade, de 84 anos, é incapaz de concorrer à presidência em 2012, por ter várias doenças. A oftalmologista Mary Faye foi questionada ontem, após dizer à imprensa que Wade tinha várias doenças, algumas envolvendo sua saúde mental.

A médica teria dito que Wade era “incapaz de liderar o Senegal” e não deveria buscar um controverso terceiro mandato, em 2012. Ela não deu qualquer prova para sustentar suas conclusões. “Eu declaro que em 2010, como resultado de sua doença, o presidente Abdoulaye Wade já é incapaz de assegurar o exercício apropriado do cargo de presidente da República do Senegal”, afirmou ela, segundo a imprensa local. E, em 2012, ele estará “completamente incapaz medicamente de assumir o posto de presidente”, disse ela, apelando à Corte Constitucional, que decidirá se o líder pode ou não concorrer.

A presidência senegalesa descreveu os comentários de Mary como “ridículos e vergonhosos”. Há no Senegal um debate em torno da saúde de Wade e também sobre a legalidade de um terceiro mandato. Ele foi eleito em 2000, para um mandato de sete anos, e reeleito em 2007, para mais cinco, após uma mudança constitucional limitar o número de mandatos nesse país do oeste africano. O Senegal é considerado uma democracia estável, em uma região com vários problemas para a democracia.

Em 2009, Wade anunciou que buscaria a reeleição. O governista Partido Democrático Senegalês argumenta que, com a mudança constitucional, Wade está em seu primeiro mandato, por isso poderia concorrer. As informações são da Dow Jones.