O grupo separatista árabe Movimento de Luta Árabe pela Libertação de Ahwaz assumiu a responsabilidade por bombardeios em dois oleodutos no sul do Irã na manhã desta terça-feira. O grupo também ameaçou realizar mais ataques no próximo ano, enquanto o país tenta aumentar a produção após o acordo nuclear com as potências mundiais.

O porta-voz do Ministério do Interior iraniano, Salman Samani, negou que a responsabilidade seja, de fato, do movimento separatista. Os militantes liberaram um vídeo em que mostraram o momento em que um dos encanamentos explode.

Segundo os separatistas, os atentados ocorreram em resposta ao anúncio do Ministério de Petróleo do Irã de 29 empresas qualificadas para a licitação dos projetos após o acordo atômico.

O grupo disse que 2017 será “muito diferente dos anos anteriores já que o movimento preparou planos detalhados e precisos para realizar uma série de operações importantes e de alta qualidade contra o Estado inimigo iraniano”.

Ataques coordenados a oleodutos podem dificultar os esforços do Irã para recuperar parte do dinheiro perdido com sanções internacionais. O país impulsionou sua produção de petróleo para cerca de 3,8 milhões de barris por dia desde o acordo de redução da oferta dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), em 30 de novembro. Fonte: Associated Press.