Sete pessoas foram encontradas mortas nesta sexta-feira no nordeste do México em uma ação que pode estar relacionada às rivalidades entre os cartéis do tráfico de drogas, informaram fontes oficiais.

Os cadáveres, todos de homens entre 50 e 65 anos, foram encontrados em uma estrada rural do município de San Fernando, no estado de Tamaulipas, segundo a Procuradoria Geral de Justiça do estado.

Os corpos apresentavam lesões por disparo de arma de fogo e a maioria deles tinha as mãos atadas. “No lugar foram encontradas cápsulas de projéteis e uma bala de calibre grosso”, acrescentou a Procuradoria estadual em comunicado.

Aparentemente, segundo as primeiras análises, as vítimas foram assassinadas seis horas antes da localização dos corpos.

No mesmo estado, na cidade de Nuevo Laredo, fronteiriça com os Estados Unidos, também foram encontrados os corpos de nove homens, que estavam pendurados em uma ponte.

Os corpos apresentavam marcas de tortura. Uma mensagem deixada pelos autores da chacina indicava que as vítimas eram integrantes do cartel Los Zetas, conhecidos por usar métodos sanguinários.

A violência em Tamaulipas aumentou muito desde 2010, ano em que houve uma dissidência entre o Cartel del Golfo e o Los Zetas, que desde então disputam o controle do tráfico de drogas na região.

Os assassinatos de hoje aconteceram após a captura, na última quarta-feira, do líder do Cartel del Golfo, Jorge Eduardo Costilla Sánchez, conhecido como “El Coss”, em uma operação da marinha mexicana na cidade de Tampico.

A prisão deixou a organização criminosa, uma das mais antigas do México, sem liderança, já que, no último dia 3 de setembro, a Marinha capturou Mario Cárdenas Guillén, conhecido como “El Gordo” e dirigente de outra vertente do Cartel del Golfo.

Segundo os analistas, tais ações podem resultar num aumento da violência no país, já que Los Zetas devem tentar tomar o controle das regiões ainda controladas pelo Cartel del Golfo que, apesar de agir no norte e na costa leste do país, tem sua origem em Tamaulipas.