As autoridades sírias proibiram hoje três opositores ao governo do presidente Bashar Assad de deixar o país. Michel Kilo, Loay Hussein e Fayez Sara estavam a caminho do Líbano para participar de um debate, quando foram informados pelo serviço de imigração sírio na fronteira de que não poderiam deixar o país por preocupação com sua segurança no Líbano.

Hussein denunciou o que classificou de tentativa de impedi-los de falar na televisão. O debate seria transmitido pela Al-Hurra, canal fundado pelos Estados Unidos. “Essa decisão nega tudo que foi falado sobre transparência e reformas”, disse Sara. “É injustificado e ilegal.”

Hoje, no norte da Síria, forças de segurança mataram duas pessoas e prenderam várias outras durante ações na vila de Khan Sheikon. A rede ativista Comitê de Coordenação Local e o Observatório Sírio para Direitos Humanos confirmaram as mortes. Eles disseram que prisões similares foram realizadas em Deir el-Zour e reportaram tiros intermitentes em várias regiões do país. Ontem, forças de segurança do governo passaram a ocupar várias cidades para reprimir protestos contra Bashar Assad. As informações são da Associated Press.