Subiu para 13 o número de mortos na tragédia da cidade argentina de Rosario, onde um vazamento de gás provocou uma explosão que destruiu um edifício e danificou seriamente outros dois. As equipes de resgate que trabalham nos escombros em busca de sobreviventes encontraram três corpos durante a madrugada, segundo confirmou nesta manhã a prefeita Mónica Fein. Outras oito pessoas ainda se encontram desaparecidas e o trabalho de busca pode demorar mais alguns dias, informou um dos chefes das equipes, Ángel Poidomani.

A principal dificuldade encontrada para remover os escombros reside no perigo de desmoronamento dos outros dois edifícios, cujas estruturas estão comprometidas. A explosão ocorreu na manhã da terça-feira em um dos prédios de um condomínio composto por três edifícios. O prédio que explodiu tinha nove andares e ficou reduzido a escombros, enquanto os outros dois, de dez andares, foram parcialmente destruídos e tiveram as estruturas danificadas.

Onze pessoas ainda se encontram hospitalizadas – três delas em estado grave. “Enquanto tiver um tijolo para tirar, vamos ter expectativas de encontrar gente com vida”, disse Poidomani.

Mais de 200 pessoas ficaram sem moradia e o governador da província de Santa Fe, Antonio Bonfatti, anunciou um subsídio de 20 mil pesos (US$ 2.339,18 pelo câmbio oficial) para ajudá-las a pagar um aluguel temporário. O governador anunciou ainda a criação de uma linha especial de crédito, com ajuda do governo federal, para reconstruir os apartamentos, além de um financiamento com taxas diferenciais para a compra de móveis.