Equipes de resgate enfrentam níveis perigosos de gás, toneladas de poeira de carvão e o risco de soterramento no trabalho para libertar 16 mineradores que estão presos no subterrâneo de uma mina na área central da China, após uma explosão ocorrida hoje. Autoridades confirmaram a morte de 21 mineradores.

O acidente ocorre na semana em que o mundo testemunhou o resgate dramático de 33 trabalhadores soterrados a quase 700 metros de profundidade por 70 dias, em uma mina no Chile. Os socorristas chineses localizaram 16 mineradores – um número menor que o inicialmente informado – mas precisam limpar as toneladas de poeira de carvão da mina antes de alcançar os trabalhadores, segundo informou a agência de notícias estatal Xinhua, citando um membro do resgate.

Não estava claro a profundidade em que os mineradores se encontravam e as condições de saúde dos trabalhadores. A explosão soltou mais de 2.500 toneladas de pó de carvão, segundo informou o engenheiro da Du Bo, uma das companhias controladoras da mina. A ventilação foi retomada dentro das áreas da mina, mas os níveis de gás eram elevados.

De acordo com a Central de Televisão da China, o nível de gás dentro da mina era de 40%, muito acima do nível normal de 1%. Não havia detalhes sobre o tipo do gás, mas o metano é normalmente uma causa comum de explosões em minas. A poeira de carvão também é explosiva. Os mais de 70 membros da equipe de resgate no local também precisam limpar pedaços de carvão que foram liberados na explosão e caíram sobre a mina. Vinte e um corpos foram retirados do local até a tarde, informou a agência Xinhua.

Chile

Esta semana, a mídia estatal chinesa participou da incansável cobertura global do resgate dos mineradores chilenos. Por isso, o governo do país e as autoridades de mineração devem enfrentar pressões para serem igualmente abertos sobre os progressos relacionados aos esforços de resgate dos mineradores chineses. As minas da China estão entre as mais perigosas do mundo e o país acumula o maior número de mortos na indústria de prospecção de minérios. No ano passado, cerca de 2.600 pessoas morreram em acidentes em mineradoras localizadas no país.

Na quinta-feira, o Diário do Povo, outro veículo estatal de comunicação, informou que a China fechou em 2010 mais de 1.600 pequenas mineradoras de carvão que estavam em situação ilegal, em um esforço para tentar melhorar os padrões de segurança. O número de áreas de extração de minérios da China diminuiu no ano passado com o fechamento de áreas pelo governo, mas as mortes voltaram a subir no primeiro semestre deste ano. Em outubro, a Administração Estatal de Segurança no Trabalho afirmou que os gerentes e líderes de minas que não acompanhassem seus trabalhadores na descida ao subterrâneo seriam punidos.