As autoridades das Filipinas aumentaram neste domingo para 540 o número de pessoas que morreram após a passagem do tufão “Bopha” pelo sul e centro do país, além de haver deixado 827 desaparecidos e 5,4 milhões de desabrigados em 30 províncias.

O primeiro boletim do dia do Conselho Nacional de Prevenção e Resposta aos Desastres inclui 368.672 pessoas dependentes dos centros de evacuação, embora apenas 177.801 morem no interior das instalações.

O presidente das Filipinas, Benigno Aquino, declarou no sábado estado de calamidade nacional para agilizar a utilização dos fundos oficiais, a concessão de empréstimos a juros preferenciais e controlar os preços dos alimentos nas regiões prejudicadas, entre outras coisas.

“Pablo”, o nome local que deram os filipinos ao furacão, destruiu 25.201 casas, e causou danos em outras 21.227.