O governo do Sudão do Sul disse que as eleições previstas para o próximo ano não serão realizadas e indicou que a votação será adiada em dois ou três anos. O anúncio foi feito no Twitter oficial do governo. O adiamento da votação ocorreu para abordar a questão da reconciliação entre o seu povo.

O Sudão do Sul mergulhou em uma onda de violência em dezembro, quando o presidente Salva Kiir acusou seu ex-vice-presidente, Riek Machar, de tentar derrubá-lo em um golpe. Fonte: Associated Press.