O Sudão está mais próximo da guerra do que da paz com seu novo vizinho, o Sudão do Sul, que em meados do ano passado declarou a independência, disse nesta sexta-feira o presidente sudanês Omar al-Bashir. O governo de Cartum, dominado por sudaneses de língua árabe e religião islâmica, tem questões não resolvidas com seu vizinho sulista, como uma disputa a respeito do petróleo na região de Abyei, que fica na fronteira entre os dois países.

“O clima agora está mais próximo de um clima de guerra do que de paz”, disse al-Bashir à agência France Presse (AFP). Ele deu a declaração após o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, ter alertado na quinta-feira que um conflito renovado poderá irromper se as negociações sobre a posse do petróleo com Cartum não incluírem um acordo que envolva outras questões, incluída a contestada região de Abyiei.

Mas al-Bashir, um ex-oficial do exército que tomou o poder em um golpe em 1989, disse que o Sudão não irá à guerra “a menos que ela seja imposta a nós”.

As informações são da Dow Jones.