Um suicida que dirigia um micro-ônibus matou pelo menos 30 pessoas nesta quarta-feira (7) ao explodir o veículo nas proximidades de um grupo de cadetes, que fazia inscrição para a academia de polícia no coração da capital do Iêmen, Sanaa.

A explosão deixou dezenas de feridos, informaram autoridades, que falaram em condição de anonimato. O suicida detonou os explosivos quando os cadetes faziam fila do lado de fora da academia.

Nenhum grupo havia assumido a responsabilidade pelo ataque. O braço local da Al-Qaeda, alvo dos frequentes ataques norte-americanos com aeronaves teleguiadas (drones), já realizou ataques semelhantes ao desta quarta-feira. Washington considera a Al-Qaeda no Iêmen o braço mais perigoso da rede terrorista, com ligações com vários ataques fracassados em território dos Estados Unidos.

Rebeldes xiitas, conhecidos como houthis, tomaram o controle de grandes áreas do Iêmen, dentre elas Sanaa, no ano passado. Os opositores veem o grupo como representantes do Irã, cujos governantes são xiitas, afirmação negada pelos rebeldes. Líderes tribais e autoridades iemenitas advertem que o crescente poder dos houthis e a repercussão dos ataques com drones deu forças à Al-Qaeda no Iêmen, que conseguiu novos recrutas. Fonte: Associated Press.