Um surto de peste pneumônica na China provocou a segunda morte no noroeste do país, levando as autoridades locais a isolarem uma cidade onde foram constatados casos dessa doença altamente infecciosa, informou hoje a agência de notícias Xinhua. A representação da Organização Mundial de Saúde (OMS) na China comunicou estar em contato com as autoridades locais e considerou adequadas as medidas adotadas até o momento: tratar e isolar as pessoas infectadas.

A segunda pessoa a morrer por causa da doença foi identificada apenas como Danzin, de 37 anos. Ele vivia em Ziketan, a cidade da província de Qinghai, onde eclodiu o surto, informou a agência. Danzin morreu no domingo. Ele era vizinho da primeira pessoa a morrer, um homem de 32 anos cuja identidade não foi revelada. Mais dez pessoas foram infectadas e estão isoladas, recebendo tratamento em um hospital local, prosseguiu a Xinhua. Ziketan é uma cidade de cerca de 10.000 habitantes. Ela foi isolada e especialistas foram enviados à região, informou a secretária local de saúde pública.

A peste pneumônica se espalha pelo ar e pode passar de pessoa para pessoa através da tosse, de acordo com a OMS. Ela é causada pela mesma bactéria que provoca a peste bubônica. Porém, enquanto a peste bubônica pode ser tratada com antibióticos se houver diagnóstico precoce, a peste pneumônica é uma das mais mortíferas doenças infecciosas conhecidas. De acordo com a OMS, ela pode matar em menos de 24 horas. Na Idade Média, uma epidemia da doença provocou a morte de pelo menos 25 milhões de pessoas na Europa.