O Taleban afegão está disposto a libertar um soldado dos Estados Unidos mantido em cativeiro desde 2009, em troca da liberação de cinco de seus comandantes presos em Guantánamo, afirmou um porta-voz do movimento nesta quinta-feira.

O sargento Bowe Bergdahl desapareceu da sua base no sudeste do Afeganistão em 30 de junho de 2009 e está no Paquistão. Em entrevista a Associated Press, o porta-voz do Taleban, Shaheen Suhail, disse que o sargento “está em boas condições”, sem entrar em detalhes sobre o seu paradeiro.

Entre os cinco prisioneiros que integram o grupo extremista estão Khairullah Khairkhwa, um ex-governador do Taleban em Herat, e mulá Mohammed Fazl, ex-comandante militar do grupo. Ambos estão detidos há mais de 10 anos.

“Primeiramente, temos que libertar os detidos”, disse Suhail quando questionado sobre Bergdahl. “Sim, isso seria uma troca. Passo a passo, queremos construir laços de confiança para seguir em frente”.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, deve participar da conferência sobre a guerra civil da Síria, que acontece em Doha, capital do Catar, no sábado.

Na quarta-feira, em Washington, a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, disse que os Estados Unidos “nunca confirmaram” qualquer horário específico para a reunião com representantes do Taleban em Doha.

No início do mês, os pais de Bergdahl receberam uma carta de seu filho por meio do Comitê Internacional da Cruz Vermelha. Eles não divulgaram detalhes da carta, mas renovaram seu apelo para a sua libertação.

A troca de prisioneiros é o primeiro item na agenda do Taleban antes mesmo da abertura de negociações de paz, disse Suhail. A oferta foi feita logo após abertura oficial de um escritório político no Taleban em Doha, nesta semana. Fonte Associated Press.