Um dos túneis que estão sendo escavados para a retirada dos 33 mineiros no Chile já alcançou 268 metros de profundidade, e a outra sonda já perfurou mais de 141 metros e está sendo preparada a montagem de uma terceira máquina. Na noite de ontem, a sonda que mais avançou chegou a 190 metros de profundidade e hoje deve superar os 300 metros.

O rápido avanço é relativizado pela circunferência de apenas 25 centímetros que deve ser ampliada para permitir a saída dos homens assim que alcançar os mais de 600 metros de profundidade, onde os mineiros estão há 34 dias. A circunferência para a retirada dos trabalhadores deve ter entre 65 centímetros e 70 centímetros, por onde será inserida uma cápsula que vai trazê-los de volta à superfície.

Já chegaram ao topo da mina San José as partes de uma sonda da estatal Empresa Nacional de Petróleo (Enap) usada em prospecções de petróleo e gás. A plataforma sobre a qual será montada já está pronta e depende da chegada, hoje ou amanhã, do restante do equipamento para ser montada. Ela deverá entrar em operação em duas semanas. A sonda petrolífera é mais veloz e em um mês e meio pode chegar ao fundo da mina, situada a cerca de 850 quilômetros ao norte da capital, Santiago.

O acampamento Esperança, como é chamado o conjunto de barracas montadas pelos familiares e pelas autoridades nas proximidades da entrada da mina, recebeu a visita hoje do ministro do Planejamento da Argentina, Julio de Vido.

Hoje, os 33 mineiros comemoraram os 54 anos de Juan Illanes, que recebeu os parabéns de sua mulher pelo sistema de videoconferência instalado para a comunicação com os mineiros. Amanhã, o grupo vai comemorar os 34 anos do mineiro Claudio Acuña.