Ao menos três policiais egípcios morreram e um ficou ferido em um ataque armado em Al Arish, na província do Sinai, no leste do Egito, de acordo com a televisão estatal do país.

Dois policiais morreram na hora, enquanto os outros dois foram levados a um hospital local. Um deles não resistiu. O outro permanece em estado grave.

Homens armados haviam disparado contra o carro da polícia em que eles estavam. Os atiradores estão foragidos.

De acordo com uma fonte policial da agência de notícia Reuters, eles eram militantes que a polícia do Egito tem procurado desde a morte de 16 policiais de fronteira, em agosto. O ataque de agosto foi o pior na fronteira com Israel desde a guerra entre os dois países, em 1973.

Nos últimos meses, a península do Sinai se converteu num foco de instabilidade e cenário de ataques a autoridades policiais, contrabando e sequestros.

Desde que o ditador Hosni Mubarak foi deposto no último ano, durante os protestos da chamada Primavera Árabe, grupos islâmicos armados têm atacado forças policiais que patrulham a fronteira entre Egito e Israel. O atual presidente, Mohamed Mursi, prometeu reforçar a segurança do local.