O Ministério Público da Coreia do Sul pediu nesta segunda-feira a prisão da ex-presidente Park Geun-hye por acusações de corrupção que desencadeou em um enorme escândalo político e terminou com o impeachment de Park. A decisão deve sair na sexta-feira.

O movimento ocorreu depois que os promotores interrogaram Park por 14 horas na semana passada em meio a suspeitas de que ela concordou com uma amiga presa para extorquir empresas e cometeu outras irregularidades quando estava no cargo.

O Ministério Público de Seul disse em um comunicado que pediu a um tribunal local para emitir um mandado de prisão para Park. O Tribunal Distrital Central de Seul disse que teria uma audiência na quinta-feira para decidir sobre o pedido dos promotores.

O tribunal deve pedir a Park para comparecer à audiência, e sua decisão sobre seu destino provavelmente virá na sexta-feira, de acordo com autoridades judiciais.

Uma prisão é o próximo passo antes que Park possa ser formalmente acusada de crimes tais como extorsão, suborno e abuso de poder. Apenas uma acusação de suborno já é punível com pena de prisão perpétua. Park tem negado qualquer irregularidade legal.

Mesmo que o tribunal rejeite o pedido, os promotores ainda podem acusar e cobrar os promotores para acusarem Park de crimes “graves”, e que ela também deve ser presa porque era suposta cúmplice e amiga de Choi Soon-sil, que subornava as empresas, e de outros suspeitos no escândalo que foram presos. Fonte: Associated Press