Uma alta corte italiana começou a deliberar hoje sobre a constitucionalidade da lei que garante a imunidade do primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi, e de altos funcionários contra processos. A decisão pode determinar a sobrevivência do governo de Berlusconi. A oposição disse que eleições antecipadas podem ser necessárias se o Tribunal Constitucional decidir contra o primeiro-ministro, já que ele pode ter de deixar o cargo sob pressão política. No entanto, seus aliados disseram que ele se manterá firme independentemente do julgamento.

A decisão da corte pode ser tomada ainda hoje, mas também pode ser adiada por vários dias se qualquer um dos 15 juízes necessitar de mais tempo para estudar a questão, disse o advogado do primeiro-ministro, Gaetano Pecorella. Berlusconi, um empresário bilionário que virou político, tem um longo histórico de problemas legais originados em interesses pessoais. Nesta semana, ele declarou que “nada vai nos fazer trair o mandato que os italianos nos deram”.

 

Os aliados conservadores de Berlusconi aprovaram a lei da imunidade no Parlamento no ano passado, garantindo ao primeiro-ministro, ao presidente do país e aos presidentes da Assembleia Legislativa imunidade contra processos enquanto estiverem nos cargos.