O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, disse nesta quarta-feira que só o seu governo irá tomar qualquer decisão mais dura sobre o futuro de seu país e sobre qualquer potencial acordo de ajuda financeira.

Em comentários feitos a jornalistas ao lado do chanceler da Áustria, Werner Faymann, Tsipras descartou a possibilidade da Grécia de antecipar as eleições, já que as eleições nacionais foram realizadas no final de janeiro.

“Temos apenas uma escolha, uma solução que irá ser economicamente viável e, portanto, poderá ser aceita pelo governo e pelo parlamento”, disse o primeiro-ministro grego.

“Nós temos um acordo para honrar. Meus colegas e eu vamos assumir o custo de levá-lo até o fim. No caso contrário, será mais uma vez que iremos dizer um grande não para a contínua política catastrófica à Grécia”, acrescentou Tsipras. Além disso, o primeiro-ministro afirmou que se a Grécia fechar acordo com credores, irá monitorar o custo de sua implementação.

Na terça-feira, Tsipras criticou os credores sobre a condução da crise da dívida do seu país, mas sugeriu que a próxima reunião de líderes europeus poderia ser o momento decisivo nas negociações.

Atenas e os credores internacionais continuam em desacordo sobre exigências de austeridade em troca de fundos desesperadamente necessários para evitar um calote. Fonte: Dow Jones Newswires.