Os advogados de 23 familiares e colaboradores do ex-ditador tunisiano Zine El Abidine Ben Ali pediram a juízes que retirem as acusações contra seus clientes sob a alegação de o processo está repleto de falhas capazes de levar a sua anulação.

Os 23 réus são acusados de crimes que vão da posse não declarada de moeda estrangeira ao tráfico de joias e tentativa de deixar ilegalmente o país. Se condenados, os réus podem ser condenados a sentenças que variarão de seis meses a cinco anos de reclusão, dependendo do caso.

Os familiares e colaboradores do ex-ditador tunisianos foram detidos no aeroporto de Túnis quando estavam prestes a embarcar em um avião particular em 14 de janeiro, mesmo dia em que Ben Ali fugiu da Tunísia para a Arábia Saudita em meio ao levante popular que derrubou seu regime.

Entre os réus estão o ex-chefe da segurança de Ben Ali, duas irmãs da ex-primeira-dama e um sobrinho. O julgamento foi retomado hoje depois de dois adiamentos. As informações são da Associated Press.