Jatos turcos bombardearam alvos rebeldes curdos no norte do Iraque, no fim da noite de ontem, após um ataque dentro da Turquia, informaram militares turcos. “Os alvos foram atingidos com sucesso”, segundo um comunicado divulgado pela internet, sem mencionar possíveis baixas entre os separatistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Os aviões de combate atingiram esconderijos do PKK nas montanhas de Qandil e na região de Hakurk, afirmou o comunicado, acrescentando que a “necessária precaução foi tomada para que civis não fossem afetados”.

O PKK, que ampliou a violência nas últimas semanas, refugia-se em bases no norte iraquiano, usando-as como ponto de partida para atacar alvos turcos ao longo da fronteira. Um porta-voz do partido afirmou que o ataque começou às 23 horas de ontem (hora local) e durou uma hora e meia. “O ataque atingiu vilas perto das fronteiras com o Irã e a Turquia, na região de Khakurk”, disse ele. “Uma casa na vila de Qouzina foi destruída, sem causar mortes.”

Ontem, houve confrontos na Turquia que deixaram 17 mortos – 12 militantes e cinco membros das forças de segurança. O confronto ocorreu após o PKK atacar uma base militar em uma área rural, na província de Siirt.

No mais sangrento ataque do grupo em dois anos, o PKK matou 12 soldados no mês passado em uma ação contra um posto da guarda fronteiriça, perto do Iraque. Também no mês passado, cinco soldados e uma jovem morreram com a explosão de uma bomba em um ônibus que levava militares em Istambul.

A violência piorou após o líder do PKK Abdullah Ocalan, que está preso, afirmar que estava desistindo de tentar o diálogo com Ancara para encerrar o conflito de 26 anos. O PKK é considerado um grupo terrorista pelo governo turco e pelos Estados Unidos. O grupo pegou em armas em 1984, buscando um território independente para os curdos e causando um conflito que já resultou em cerca de 45 mil mortes. As informações são da Dow Jones.